Sobre Jequitibás e Eucaliptos – Rubem Alves

Postado por na catrgoria Educação, Notícias em 12 de setembro de 2012

Vera Keller

Hoje quero trazer a esse espaço o texto de um de meus autores favoritos: o doce mestre Rubem Alves, um profundo conhecedor da alma humana em geral e da alma dos educadores, em particular. Salve Rubem!

 Sobre Jequitibás e Eucaliptos

“Educadores, onde estarão? Em que covas se terão escondido?

Professores, há  aos milhares. Mas o professor é profissão, não é algo que se define por dentro, por amor. Educador, ao contrário, não é profissão; é vocação. E toda vocação nasce de um grande amor, de uma grande esperança.

Profissões e vocações são como plantas. Vicejam e florescem em nichos ecológicos, naquele conjunto precário de situações que as tornam possíveis e – quem sabe? – necessárias. Destruído esse habitat, a vida vai-se encolhendo, murchando, fica triste, mirra, entra para o fundo da terra, até sumir.

E o educador? Que terá acontecido com ele? Existirá ainda o nicho ecológico que torna possível a sua existência? Resta-lhe algum espaço? Será que alguém lhe concede a palavra ou lhe dá ouvidos? Merecerá sobreviver? Tem alguma função social ou econômica a desempenhar?

Uma vez cortada a floresta virgem, tudo muda. É bem verdade que é possível plantar eucaliptos, essa raça sem vergonha que cresce depressa, para substituir as velhas árvores seculares que ninguém viu nascer nem plantou.

Para certos gostos, fica até mais bonito: todos enfileirados, em permanente posição de sentido, preparados para o corte. E para o lucro.

Acima de tudo, vão-se os mistérios, as sombras não penetradas e desconhecidas, os silêncios, os lugares ainda não visitados. O espaço racionaliza-se sob a exigência da organização. Os ventos não mais serão cavalgados por espíritos misteriosos, porque todos eles só falarão de cifras, financiamentos e negócios.

Que me entendam a analogia.Pode ser que educadores sejam confundidos com professores, da mesma forma como se pode dizer. jequitibá e eucalipto, não é tudo árvore, madeira? No final, não dá tudo no mesmo?

Não, não dá tudo no mesmo, porque cada árvore é a revelação de um habitat, cada uma delas tem cidadania num mundo específico. A primeira, no mundo do mistério, a segunda, no mundo da organização, das instituições, das finanças.

Há árvores que têm personalidade e os antigos acreditavam mesmo que possuíam uma alma. É aquela árvore, diferente de todas, que sentiu coisas que ninguém mais sentiu. Há outras que são absolutamente idênticas umas às outras, que podem ser substituídas com rapidez e sem problemas.

Eu diria que os educadores são como as velhas árvores. Possuem  uma face, um nome, uma “história” a ser contada. Habitam um mundo em que o que vale é a relação que os liga aos alunos, sendo que cada aluno é uma “entidade” sui generis, portador de um nome, também de uma “história”, sofrendo tristezas e alimentando esperanças.

Mas professores são habitantes de um mundo diferente, onde o “educador” pouco importa, pois o que interessa é um “crédito” cultural que o aluno adquire numa disciplina identificada por uma sigla, sendo que, para fins institucionais, nenhuma diferença faz aquele que a ministra.

Por isso, professores são entidades “descartáveis”, da mesma forma como há canetas descartáveis, coadores de café descartáveis, copinhos de plástico para café descartáveis.

De educadores para professores realizamos o mesmo salto que de pessoa para funções. (…)Não sei como preparar o educador. Talvez porque isso não seja nem necessário nem possível… É necessário acordá-lo. E aí aprenderemos que educadores não se extinguiram como tropeiros e caixeiros. Porque, talvez, nem tropeiros nem caixeiros tenham desaparecido, mas permaneçam como memórias de um passado que está mais próximo do nosso futuro que o ontem. Basta que os chamemos do seu sono, por um ato de amor e coragem.

E talvez,  acordados, repetirão o milagre da instauração de novos mundos.”

[ALVES, Rubem. Sobre Jequitibás e Eucaliptos. in: Conversas com Quem Gosta de Ensinar]

    Tags: ,

    10 Colaborações em “Sobre Jequitibás e Eucaliptos – Rubem Alves”

    1. Renato

      abr 2nd, 2013

      sdfkl

    2. ukwxjgjfdq

      jan 8th, 2014

      xjagrfjdmjl, http://www.mpewvpdiff.com/ bdddfuzwzt

    3. asunqwwtys

      jan 9th, 2014

      jayxtfjdmjl, http://www.wepvzvmlrs.com/ qusmkhjikk

    4. [...] Fonte: http://eiclik.com.br/sobre-jequitibas-e-eucaliptos-rubem-alves/ Compartilhe isso:EmailTwitterFacebookGoogleMaisTumblrRedditStumbleUponPinterestPocketDiggLinkedInImprimirCurtir isso:Curtir Carregando… [...]

    5. deusilia

      mar 11th, 2014

      muito bacana!

    6. antonio

      mar 20th, 2014

      linda diferenca entre professores e educadores,apesar de tudo ainda é possível encontrarmos educadores.
      gostei da analogia.
      Quem sabe, sabe, quem não sabe apreende.

    7. marcelo

      jul 10th, 2014

      Super legal,pois gosto muito dos trabalhos de:Rubem alves.
      PEDAGOGO.

    8. mathilde rocha de almeida

      mai 14th, 2015

      Que pena nosso grande pensador-educador partiu Cabe a nós expand seus idéias ideias.

    9. ANTONIA APARCIDA DE SANTANA BOLI

      jun 3rd, 2017

      SÃO PAULO,03/06/2017

      Rubens Alves se eternizou no coração de quem leu alguns de seus pensamentos,penso que homens como este deveriam existir mais aqui na terra para ajudar aqueles que vive na escuridão da falta de conhecimento.


    Contribua com um comentário

    Twitter